Atlético Paranaense × na web de torcedores da Atlético Paranaense.
Atlético Paranaense
A rede social de torcedores do
Atlético Paranaense

marcos guilherme

Quer criar um artigo? Tente procurar no Buscador o artigo que deseja criar para comprovar que ainda não existe. Em caso de não existir, você poderá criá-lo

Denúncia

Por favor, insira o motivo de denúncia do artigo

Por favor, copie e cole os parágrafos denunciados para ajudar a localização do artigo denunciado. Obrigad@.

marcos guilherme

Enviar a um amigo

Campeão paranaense juvenil, da Copa Paraná Sub-18, da SC Cup, vice da Copa Brasil Sub-17 e semifinalista da Copa São Paulo. Em menos de um ano, a carreira de Marcos Guilherme, uma das principais promessas da base doAtlético-PR, atingiu um patamar invejável para um atleta de 16 anos. Meia habilidoso, incisivo e com ótimo poder de finalização, foi eleito o melhor jogador da categoria /95 pelo Olheiros na última temporada. A badalação, no entanto, pode fazer com que o futuro da joia no Furacão seja breve. Seu contrato profissional vai até agosto de 2012, o que já o coloca na mira de outros clubes grandes do futebol brasileiro.

Aventura no sul

Natural de Itararé, em São Paulo, Marcos Guilherme entrou na escolinha da AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) em meados de 2005. Treinado por Murilo, logo alcançou destaque e recebeu um convite para jogar na Itália, rechaçado pelos seus pais. Dois anos mais tarde, foi a vez do Santos assediar o menino após um torneio regional, mas o clube da Vila só acolhia jogadores com, no mínimo, 12 anos. Seu futuro poderia não estar fora do país, mas também não estava em São Paulo. No início de 2007, Marcos foi aprovado em uma peneira do Trieste, clube de Curitiba. Desta vez, ele e sua família aceitariam o desafio.

Em seu primeiro campeonato pela nova equipe, o Campeonato Metropolitano Pré-Infantil de 2008, Marcos Guilherme foi artilheiro e campeão invicto, superando o ?trio de ferro? do futebol paranaense. O destaque lhe valeu um período de testes no Porto por uma semana, e pouco depois de seu retorno, o jovem deu um salto determinante rumo aos holofotes: observado por Pedrinho Maradona, até então treinador do sub-15 do Atlético-PR (hoje dirige os juvenis), Marcos foi convidado a integrar o time infantil do rubro-negro.

Como um Furacão

Pelo novo clube, o meia começou a despontar em 2010, sendo o destaque do time eliminado na primeira fase da Copa Brasil Sub-15e o artilheiro da equipe vice-campeã do Campeonato Paranaense Infantil. O ano seguinte seria ainda mais expressivo. Além da assinatura de seu primeiro contrato profissional, Marcos foi vice-campeão da Copa Brasil Sub-17, logo na primeira participação do Atlético na história do torneio. Muitas vezes jogando adiantado, como um segundo atacante, ele foi imprescindível para que o time, mesmo com a derrota para o Cruzeiro nos pênaltis na decisão, tivesse a melhor campanha e o melhor ataque do torneio.

No segundo semestre, seu primeiro título foi o Campeonato Paranaense Sub-17, no qual teve papel decisivo. Além de fazer o gol que garantiu a vitória por 1 a 0 no jogo de ida, contra o Coritiba, o camisa 10 foi uma das poucas válvulas de escape do Furacão, além de ter convertido um dos pênaltis que garantiram o título na decisão da marca da cal. Ainda deu tempo para o garoto conquistar outro título estadual, a Copa Paraná Sub-18, que serviu como ambientação a uma categoria para a qual seria preparado para o ano seguinte.

Para fechar o ano com chave de ouro, Marcos Guilherme ainda liderou a geração que faturou o bicampeonato da SC Cup Sub-16, no último mês de dezembro. Além da faixa de capitão ostentada e dos três gols marcados (contra Imbituba, Fluminense e Coritiba), o meia ainda faturou o prêmio de melhor jogador da competição. A categoria /95 já estava ?pequena? para o prodígio rubro-negro.

Copinha e o futuro

O potencial de Marcos Guilherme pedia um desafio maior. Um desafio do tamanho da Copa São Paulo, competição de base mais badalada do país. O Atlético assumiu o risco de queimar etapas com o jovem, e não só com ele, já que a média de idade do time que embarcou para SP foi de 17,1 anos. Logo em sua primeira Copinha, o menino já assumiu a titularidade e a camisa 10 em meio a atletas dois anos mais velhos. E mostrou a que veio. Na primeira fase, seu grande jogo foi na goleada por 7 a 0 sobre o Marília/SP, onde marcou gol, sofreu pênalti e deu assistência.

Na fase final, jogando com problemas físicos, o garoto encontrou dificuldades e foi opção no banco na maioria dos jogos. Entretanto, até pelo desempenho surpreendente do Furacão, alcançando as semifinais, seu desempenho individual também foi bastante satisfatório. Vale lembrar que Marcos ainda tem, no mínimo, mais duas Copinhas pela frente, número que pode subir caso a idade limite para a disputa da competição seja ampliada em um ano, como vem sendo especulado.

A sequência da temporada 2012 não deve reservar grandes desafios para Marcos Guilherme. Com a extinção da categoria júnior do clube, o garoto permanece no time juvenil e deve ?sobrar? mais uma vez no campeonato estadual e até mesmo na Copa Brasil Sub-17, caso seja aproveitado. Seleção brasileira ainda é um sonho distante, já que o garoto ultrapassou a idade limite pro ciclo para o Sul-Americano Sub-17 em 2013 e possui uma concorrência enorme na sub-20. 

Outra preocupação é o fato do vínculo do meia com o Atlético durar apenas até agosto desse ano. Tendo em vista o mercado inflacionado e o prestígio de Marcos entre os /95, os rubro-negros não podem dar sopa para o azar. Independente de sua permanência, a queima de etapas tem tudo para ser uma constante na sua carreira.

Ficha técnica

Nome: Marcos Guilherme de Almeida Santos de Matos

Data de nascimento: 05/08/1995

Local de nascimento: Itararé, São Paulo

Clubes que defendeu: AABB, Trieste, Atlético-PR

Seleções de base que defendeu: nenhuma

Página criada por Cainan

É provável que esse artigo contenha material da Wikipedia esse material se utiliza de acordo com os termos da licença livre de documentação GNU